fbpx

Artigos

“Dialéctica y libertad”, relembrando Paulo Freire, por José Luis Fiori

En sociedades cuya dinâmica estructural conduce a la dominación de las conciencias, la “pedagogia dominante es la pedagogia de las clases dominantes”. Los métodos de opresión no pueden, contradictoriamente, servir a la liberación del oprimido. En esas sociedades, gobernadas por intereses de grupos, clases y nacionais dominantes, “la educación como prática de la libertad” postula necessariamente una “pedagogia del oprimido”…

Leia mais

A síndrome de Babel e a disputa do poder global, por Tarso Genro

A síndrome de Babel e a disputa do poder global traz para a mesa da intelectualidade brasileira e para os círculos políticos do campo democrático – centristas progressistas, esquerda socialista e social democrata – uma contribuição que certamente estará entre as grandes obras que “a um só tempo (é de) teoria-história-conjuntura”. É um livro dramático, grandioso e realista, em que o…

Leia mais

A danação da história e a disputa pelo futuro, por José Luis Fiori

Depois de 1940, a Argentina entrou num processo entrópico de divisão social e crise política crônica, ao não conseguir se unir em torno de uma nova estratégia de desenvolvimento, adequada ao contexto geopolítico e econômico criado pelo fim da Segunda Guerra Mundial, pelo declínio da Inglaterra, e pela supremacia mundial dos Estados Unidos. J.L.F. História, estratégia e desenvolvimento. Petrópolis: Editora Vozes,…

Leia mais

Para entender a eleição peruana, por Carlos García Torres

1. A história do vice-reinado do Peru como origem da centralização A história da República do Peru não pode ser entendida sem compreender adequadamente o seu importante passado colonial e o papel que o Vice-Reino de Lima desempenhou por mais de três séculos no contexto sul-americano. O Vice-Reino de Lima foi criado por Carlos V em 1542. Sua extensão compreendia…

Leia mais

Blowback, por José Luis Fiori

“Blowback é um termo que foi inventado pelos oficiais da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos, para referir-se às conseqüências indesejadas ou não-buscadas das políticas e ações militares norte-americanas, através do mundo”.Chalmers Johnson, Blowback, 2001, pg 8 Um dos problemas mais difíceis da Guerra é prever e controlar suas conseqüências inesperadas. É isto que faz uma boa parte do…

Leia mais

Afeganistão: Um enigma e quatro hipóteses, por José Luis Fiori

“Whenever western leaders ask themselves the question, why are we in Afghanistan, they come up with essentially the same reply: “to prevent Afghanistan becoming a failed state and haven for terrorists”. Yet there is very little evidence that Afghanistan is coming stable. On the contrary, the fighting is intensifying, casualities are mounting and the Taliban are becoming more confident” Gideon Rachman,…

Leia mais

O dilema de Taiwan, no berço da nova “ordem mundial”, por José Luis Fiori

For more than 70 years, China and Taiwan have avoided coming to blows. The two entities have been separated since 1949, when the Chinese Civil War, which had begun in 1927, ended with the Communist’s victory and the Nationalist’s retreat to Taiwan[…]. In recent months, however, there have been disturbing signals that Beijing is reconsidering its peaceful approach and contemplating…

Leia mais

Meia-volta, e volver para o quartel, entrevista com José Luis Fiori

Além da nota intimidatória contra o presidente da CPI da Covid, em reação às revelações sobre militares envolvidos no esquema de corrupção das vacinas, o comandante da Aeronáutica, o brigadeiro Carlos Almeida Baptista Junior, afirmou ao jornal O Globo que o texto era apenas um “alerta” e que as Forças Armadas não irão enviar “50 notas para ele (Omar Aziz).…

Leia mais

Estados Unidos e Cuba, por José Luis Fiori

 Foi logo depois da conquista da Flórida, em 1819. Os Estados Unidos só tinham 40 anos de idade, e seu território não ia além do Rio Mississipi.  James Monroe era o presidente dos Estados Unidos, mas foi seu Secretário de Estado, John Quincy Adams, quem falou, pela primeira vez, da atração norte-americana por Cuba. Quando disse, numa reunião ministerial do…

Leia mais

Sete potências e um destino: conviver com o sucesso da civilização chinesa, por José Luis Fiori

China permanece sendo uma “civilização” que finge ser um Estado-nação […] e que nunca produziu temática religiosa de espécie alguma, no sentido ocidental. Os chineses jamais geraram um mito da criação cósmica e seu universo foi criado pelos próprios chineses. Kissinger, H. Sobre a China. Rio de Janeiro: Ed. Objetiva, 2011, p. 28. O espetáculo foi montado de forma meticulosa,…

Leia mais

Qual o Plano Biden para a batalha Estados Unidos versus China? Por Andrés Ferrari e André Moreira Cunha

Não é a China que produz o retrocesso dos EUA, mas a opção desse último pelo neoliberalismo. Por isso, Biden pretende ordenar a frente interna. Há alertas de que a democracia em seu país está em perigo. Acredita que quando os EUA abandonam seus valores democráticos, perdem sua legitimidade como uma potência mundial. Mesmo que não seja assim, o maior…

Leia mais

Quando se trata da China, Biden parece “outra pessoa”, por Andrés Ferrari

Em setembro do ano passado, Andrew Bacevich questionou, no Foreign Affairs, por que Joe Biden encerrou o discurso, no qual concordou em ser o candidato democrata nas eleições presidenciais, pedindo que “Deus proteja nossas tropas”. Em sua exposição, Bacevich observa que em nenhum momento Biden deu uma explicação ou esclareceu por que as tropas dos EUA precisavam da proteção de…

Leia mais

Bilionários do mundo incomodados com essa coisa chamada sociedade, por Andrés Ferrari

As grandes corporações que pagam pouco ou nada de impostos – refletindo uma visão individualista que ignora o empobrecimento da sociedade na qual enriquecem – serão afetadas pelo aumento de impostos proposto por Biden. “O empresário só é tolerável na medida em que se possa argumentar que seus ganhos guardam alguma relação com o fato de que, aproximadamente e em…

Leia mais

França – um som de botas no ar, por Elizabeth Carvalho

Um som de botas sobre os paralelepípedos de Paris está despertando velhos fantasmas adormecidos na sólida República da França. Ele ecoa pelo Palácio do Eliseu desde 21 de abril, quando se completaram 60 anos do golpe derrotado contra o General De Gaulle, organizado por um grupo de militares inconformados com a independência da Argélia, a ex-colônia mais importante do império francês,…

Leia mais